Grupo

cropped-blogsil.jpg

Silenciosas é um grupo de Improviso Cênico. É uma técnica que permite, ou melhor, estimula que cada intérprete utilize todos os seus conhecimentos corporais como parte de sua dança, no intuito de construir uma dança única e particular, que aproveita todas as habilidades e desabilidades de cada corpo. É uma técnica de consciência cênica e composição que visa aumentar a inteligência cênica do intérprete para trabalhar em grupo. O objetivo é criar grupos coesos, com escuta para a composição, para as sensações/imagens que criam no espaço, e para as dramaturgias do improviso. Para isso, a pesquisa se estende na relação cênica gerada pelo encontro da arte com o público. Trabalhamos prioritariamente com pesquisa e criação em improvisação e suas infinitas possibilidades, mas somos um grupo sempre aberto a diferentes escolhas artísticas, e já trabalhamos com coreografias e células coreográficas, quando julgamos necessário. O Improviso Cênico também serve a trabalhos coreografados, abordando presença cênica, conexão entre os intérpretes, sensações/imagens para potencializar movimentos, entre outras coisas.

Devido a heterogeneidade de nossas formações, é possível reconhecer diferentes técnicas presentes em nossos trabalhos como Contato Improvisação, Dança Contemporânea, Parkour, Acrobacias, Mão à mão, Trapézio Fixo, Mastro Chinês, Palhaço, Teatro, Música, Balé Clássico entre outras. Dentro de nossos ensaios sempre há espaço para treinamentos físicos surgidos do diálogo gerado pela heterogeneidade do grupo.

Apesar do grupo ser de artes integradas, o trabalho que nos une é o Improviso Cênico, com ênfase em improvisação Dança Teatro.

Uma das principais ferramentas possibilitadoras que utilizamos no Improviso Cênico é a Sensação/Imagem.

Nesse procedimento, os intérpretes sempre buscam enriquecer imagens com sensações e vice versa. Não importa qual aspecto é enfatizado primeiro, o objetivo é equilibrar os dois, para que a imagem não fique “fora” do corpo (por exemplo, passando como se fosse um filme que o intérprete assiste passivamente) ou uma sensação não tenha como chegar aos outros por pobreza de imagem. Equilibrando as duas, a sensação ganha uma imagem forte que a transmite, e a imagem escorre do cérebro e se espalha pelo resto do corpo com mais intensidade, assim o corpo torna-se sensação/imagem aos olhos dos outros intérpretes e da plateia. Essa é a estratégia que usamos para gerar movimentos preenchidos a partir do assunto que gostaríamos de expressar. Buscamos uma sensação/imagem a partir de um assunto, aprofundamos essas imagens/ sensações, nos apropriando delas, e deixando-as se espalhar por nossos corpos. O intuito é nos preencher de sensações/imagens cada vez mais ricas, que nos permitem gerar qualidades de movimento e coreografias instantâneas que comuniquem, que funcionem como esculturas móveis cheias de significados para os intérpretes e eventualmente para o público.

 

Direção e concepção - Diogo Granato

Intérpretes criadores - Diogo Granato - Flávia Sheye -
 Flavio Falcone - Ilana Elkis - Michelle Farias -
 Veronica Piccini - Victor Abreu

Produção - Cau Fonseca - Mítica!

 

 


 

3 Respostas para “Grupo

  1. Oi Ariadne! ficamos muito felizes com seu comentário! A trilha sonora é improvisada também, mas no momento do solo do Flavio a música era “Losing my Religion” do R.E.M. Grande abraço do grupo!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s